Animais fantásticos: entenda a participação brasileira no filme

Você sabia que peças icônicas do universo de magia e bruxaria foram criações brasileiras? Confira

Imagem: Divulgação

Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore, terceiro filme da franquia prequel do mundo mágico de Harry Potter, atingiu a marca de US$ 400,9 milhões em bilheteria mundial, o que o consagrou como a sexta maior bilheteria do ano de 2022. E embora seja o irmão caçula desse universo, esse filme traz muitos segredos e participações inusitadas que envolvem, veja só, o Brasil! 

A história se passa durante a década de 1930, às vésperas da Segunda Guerra Mundial, em um momento no qual o poder do bruxo das trevas, Grindelwald (Mads Mikkelsen), cresceu exponencialmente. Para contê-lo, Albus Dumbledore (Jude Law) e Newt Scamander (Eddie Redmayne) iniciam uma jornada ao redor do globo com o objetivo de angariar seguidores que irão se confrontar em uma guerra mágica iminente.

Anúncios

A grande diferença deste filme para os demais da saga é que, ao contrário da franquia original, que foca principalmente no Reino Unido, o terceiro filme da série Animais Fantásticos embarca em representações de outros lugares do mundo, como Butão, Alemanha, China e Brasil, tudo isso na década de 1930 – um forte trabalho de pesquisa e esforço do time de efeitos especiais e efeitos práticos.

E onde o Brasil se encaixa em Animais fantásticos?

O plano original era que várias das cenas fossem filmadas por aqui, em especial no Rio de Janeiro, mas a pandemia mudou os planos da equipe, e toda a sequência teve que ser filmada de forma remota. 

Mesmo assim, essa mudança no roteiro não diminuiu a presença da atriz Maria Fernanda Cândido, que interpreta a personagem Vicência Santos, a ministra da magia brasileira e candidata ao posto de Chefe Supremo da Confederação Internacional de Bruxos. A aparição dele, mesmo que breve, trouxe o toque brasileiro necessário para a representação do país no mundo bruxo. 

Anúncios

A atuação de Eduardo Lima na produção dos filmes

Mas o gostinho brasileiro não para por aí: além de Maria Fernanda Cândido, outro brasileiro assina a produção de Animais Fantásticos – e pouca gente sabe, mas ele já marca presença desde o segundo filme da saga Harry Potter. 

Eduardo Lima, formado no curso de design gráfico em 1997, pela PUC-RJ, entrou para o time de design no início da produção de Harry Potter e a Câmara Secreta. Anos mais tarde, fundou, junto de uma sócia, o estúdio MinaLima, responsável pela arte gráfica da franquia. Desde então, seu trabalho é reconhecido pela estética inigualável emprestada ao universo fantástico de magia e bruxaria.

Anúncios

Em Animais Fantásticos, todas as cenas e os objetos relativos à candidatura da personagem Vicência Santos – como panfletos, banners, cartazes e o próprio brasão do Ministério da Magia dos Estados Unidos do Brasil – foram obra de Eduardo. Dá até um calorzinho no coração saber que o famoso Mapa do Maroto também é criação dele.

Para muitos, pode parecer estranho, mas ver um brasileiro demonstrar toda a sua habilidade e depositar parte da essência do Brasil em uma das maiores franquias de cinema de todos os tempos é realmente inspirador, e pode servir de exemplo para muitos outros profissionais se espelharem e mostrarem ao mundo a qualidade dos artistas brasileiros.

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s